Operação do MP-GO apura prática de rachadinha por vereadores de Cristalina

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por intermédio das promotorias de Justiça de Cristalina, deflagrou na manhã desta terça-feira (10/3) a Operação Toma Lá Dá Cá. Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva em desfavor de vereadores no exercício do cargo. A Polícia Militar e o Centro de Inteligência do MP-GO deram apoio.

De acordo com os coordenadores da operação, promotores de Justiça Ramiro Carpenedo Martins Netto e Fernando Martins Cesconetto, a investigação apurou a existência da prática popularmente conhecida por rachadinha por parte de servidores públicos, em benefício dos parlamentares. Durante o cumprimento dos mandados de busca nas residências e na Câmara dos Vereadores, foram apreendidos extratos bancários, contratos suspeitos, agendas, cópias de cheques, cartões bancários, aparelhos celulares, computadores, pendrives e um aparelho de rádio amador que estava sintonizado na frequência da Polícia Militar.

Fizeram parte da operação 12 promotores de Justiça, 7 oficiais de Promotoria e mais de 50 policiais militares das Rondas Táticas Móveis (Rotam), Batalhão de Choque, Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) e 32ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) de Cristalina. A investigação prosseguirá com a oitiva de 36 servidores que foram notificados durante a operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui