Obra da construção da nova sede da Assembleia Legislativa segue em ritmo acelerado no Park Lozandes

Seguindo determinação do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), o andamento das obras da futura sede do Parlamento goiano continua acelerado e novas etapas já estão concluídas. Foram finalizados serviços iniciais, como mobilização e preparação do canteiro de obras e avaliação da estrutura de proteções coletivas.

Já estão também em fase adiantada, instalações paralelas, especialmente as partes elétrica, de gás, hidráulica e de prevenção e combate a incêndio. Nos últimos meses, houve considerável avanço da estrutura de lajes dos pavimentos do edifício, localizado no Park Lozandes, em Goiânia.  A estrutura e os pisos de concreto armado do subsolo, as instalações de esgoto, a drenagem pluvial e a execução de impermeabilizações estão também em fase adiantada.

A instalação da subestação de energia elétrica também avançou muito. Ela é parte importante da obra por ser uma infraestrutura elétrica de alta potência, contendo equipamentos para transmissão e distribuição de energia, além de equipamentos de proteção e controle.

Localizada no Park Lozandes, a nova sede da Assembleia terá área total construída de 44,5 km², composta por quatro setores e sete pavimentos. A obra conta com um auditório com capacidade para 629 lugares, três auditórios com 341 lugares cada, um refeitório para 108 pessoas e uma lanchonete. O projeto prevê um saguão principal, que dá acesso ao plenário, com galeria para 222 lugares. O estacionamento externo terá capacidade para receber até seis ônibus, 436 vagas cobertas para automóveis e 502 vagas sem cobertura.

A Escola do Legislativo terá três salas de aula com 25 lugares cada, biblioteca, sala de reuniões e espaço para café. O projeto foi elaborado de maneira a ser sustentável, abrigando coleta seletiva de resíduos durante sua edificação, reaproveitamento de água da chuva e do sistema de climatização, com destaque para iluminação e ventilação natural do prédio.

A criação de espaços compatíveis com a realidade atual da Casa eliminará gastos de reformas estruturais e reparos constantes, além de disponibilizar espaços adequados para a instalação de gabinetes de deputados, comissões temáticas, auditórios, TV Assembleia, além de salas adequadas para a área tecnológica do Legislativo.

A adoção de sistemas com foco na sustentabilidade também pode gerar economia financeira para o Parlamento goiano. Sistemas de ar condicionado são os grandes responsáveis pelos maiores gastos com energia, por isso o novo sistema será moderno e computadorizado, com equipamentos mais inteligentes que trarão climatização e uso racional de energia elétrica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui